quarta-feira, 1 de março de 2017

Panis et circensis – Os Mutantes

"Mas as pessoas na sala de jantar, são ocupadas em nascer e morrer!"

O nome veio do uso errôneo de uma expressão latina, que Décio Pignatari viria a chamar de "delicioso provincianismo de vanguarda". A confusão continua até hoje: na edição mais recente do álbum, o nome é grafado como "circencis" na capa, sendo usadas também as formas "circenses" e "circences" na contracapa.

A política do pão e circo (panis et circensis) foi criada pelos antigos romanos, que estavam preocupados com a falta de alimento e principalmente de diversão do povo. Segundo os antigos romanos, sem estas duas coisas seria impossível ver-se em sociedade, e a insatisfação do povo perante os governantes só aumentaria.

Conta a história que sangrentas lutas entre gladiadores foram criadas para divertir o povo, que também recebia pão gratuito durante as lutas.

A canção "Panis et Circensis", composta por Gilberto Gil e Caetano Veloso, tornou-se o grande hino do movimento Tropicália, que estourou no Brasil no final da década de 60 e conseguiu universalizar a linguagem da música popular brasileira com a introdução da guitarra elétrica, do rock psicodélico e das correntes jovens do mundo na época. Foi a união do pop, com o psicodelismo e a estética que deram à música brasileira uma essência que influenciou toda a cultura nacional.

"Panis et Circensis", interpretada pelos músicos psicodélicos Os Mutantes, traz a mensagem do que o movimento pretendida. Com uma letra que diz que as pessoas estão muito acomodadas e não se lembram mais de que a vida não é apenas nascer e morrer, deram um choque em toda a sociedade. Além disso, o teclado e a guitarra elétrica contribuíram para mostrar que a música brasileira precisava sair um pouco do patamar banquinho-violão, gerando grande euforia e alegrias nos jovens.

A canção é a principal do álbum "Tropicália", que além d'Os Mutantes, conta com composições e interpretações de Caetano VelosoGilberto GilRogério DupratGal CostaTorquato NetoTom Zé, entre outros. 

[Fonte: Análise Sobre Música Brasileira]


Panis et Circensis

Eu quis cantar
Minha canção iluminada de sol
Soltei os panos sobre os mastros no ar
Soltei os tigres e os leões nos quintais
Mas as pessoas na sala de jantar
São ocupadas em nascer e morrer

Mandei fazer
De puro aço luminoso um punhal
Para matar o meu amor e matei
Às cinco horas na avenida central
Mas as pessoas na sala de jantar
São ocupadas em nascer e morrer

Mandei plantar
Folhas de sonho no jardim do solar
As folhas sabem procurar pelo sol
E as raízes procurar, procurar

Mas as pessoas na sala de jantar
Essas pessoas na sala de jantar
São as pessoas da sala de jantar
Mas as pessoas na sala de jantar
São ocupadas em nascer e morrer





Nenhum comentário:

Postar um comentário